Polícia Civil e MP investigam repasse de ingressos para torcidas organizadas

Polícia Civil e MP investigam repasse de ingressos para torcidas organizadas

Líderes das torcidas recebiam ingressos, que eram repassados para cambistas e vendidos em seguida.

Eles chegaram por volta das 11h para depor na Cidade da Polícia. Ao todo, foram expedidos dez mandados de condução coercitiva.

A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), o Ministério Público e o Juizado Especial do Torcedor, prenderam três líderes de torcidas organizadas na manhã desta sexta-feira (1). Já o presidente da Young Flu, Manuel de Oliveira Menezes, o vic-presidente da mesma torcida organizada, Luiz Carlos "Fila" Torres Júnior, e o presidente da Força Flu, Ricardo Alexandre "Pará" Alves foram presos. O presidente da torcida Fiel Tricolor continua foragido. Entre os alvos dos mandados de condução coercitiva, há também uma pessoa ligada ao Flamengo, além de mais membros de organizadas - Fil, presidente interino da Fúria Jovem, do Botafogo; um líder de torcida do Vasco; e Alessom Galvão de Souza, da Raça Rubro-Negra, do Flamengo. A polícia cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa do dirigente alvinegro, em Copacabana, na Zona Sul. Também foram cumpridos mandados de prisão, e de busca e apreensão no Estádio Nilton Santos, em São Januário, no Maracanã e na Sede das Laranjeiras. Entre elas, o presidente do Fluminense, Pedro Eduardo Silva Abad; o vice-presidente de futebol do Vasco, Eurico Brandão, o Euriquinho, filho do presidente do clube, Eurico Miranda, e o vice-presidente de estádios do Botafogo, Anderson Simões. O mandatário estava acompanhado dos advogados do clube e, à imprensa no local, disse que não se manifestaria naquele momento.

Ller este