Revisão de parâmetros adiciona R$ 4764 bi à previsão de receitas — Planejamento

Revisão de parâmetros adiciona R$ 4764 bi à previsão de receitas — Planejamento

Por outro lado, o governo precisou diminuir em R$ 1,27 bilhão a expectativa de arrecadação com o programa de parcelamento de débitos tributários, o Refis, depois das mudanças aprovadas pelo Congresso Nacional e sancionadas pelo presidente Michel Temer.

Receitas O Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do quinto bimestre computou uma alta de R$ 7,251 bilhões nas receitas totais projetadas para 2017 em relação às previsões feitas pelo governo ao fim do quarto bimestre. Com o novo desbloqueio, o contingenciamento orçamentário deste ano deve cair para um valor próximo de R$ 25 bilhões.

O governo ainda incorporou mais R$ 2,711 bilhões de precatórios que foram sacados depois de mais dois anos parados nas contas, sem resgate dos beneficiários. Ao mesmo tempo, despesas como os pagamentos de seguro-desemprego e abono salarial totalizaram economia de R$ 2,1 bilhões, passando de R$ 60 bilhões, no 4º bimestre, para R$ 57,8 bilhões, no 5º bimestre. Dos R$ 7,5 bilhões, R$ 7,4 bilhões se destinam ao Poder Executivo, sendo R$ 593 milhões para o pagamento de emendas parlamentares impositivas individuais e de bancadas e R$ 6,8 bilhões para demais despesas de órgãos. Os recursos do desbloqueio deverão ser distribuídos nas próximas semanas e servirão para cobrir despesas administrativas de ministérios e para pagar obras em andamento. Outros R$ 94 milhões serão destinados aos Poderes Legislativo, Judiciário, Ministério Público da União (MPU) e Defensoria Pública da União (DPU). "Isso não vai fazer com que as pessoas parem de reclamar da falta de recurso".

O ministro manteve a projeção do Produto Interno Bruto (PIB) de 0,5% este ano. Já a massa salarial no mesmo período subiu de 4,7% para 5,1% em função do aumento da população ocupada.

Ller este