Preço do pão pode subir 20% no próximo ano

Preço do pão pode subir 20% no próximo ano

"Os fogos florestais e o problema da contaminação pelo pesticida Fipronil detetado em vários países da Europa fizeram disparar o preço dos ovos em Portugal", sublinha o presidente da Associação de Produtores de Ovos Moles de Aveiro, Francisco Silva.

Em Janeiro de 2018, o preço do pão irá aumentar cerca de 20%. "Não dá para aguentar mais esta situação", contou António Fonte, presidente da Associação dos Industriais de Panificação, Pastelaria e Similares do Norte, ao diário.

Assim, o preço da carcaça vai passar a custar, por exemplo, 16 cêntimos no Porto e 24 cêntimos em Lisboa. Em Braga, subirá para os 13 cêntimos e em Coimbra para os 17, enquanto no Algarve, passará a custar 20 cêntimos.

O preço dos ovos deve também conhecer um novo aumento no próximo ano. A começar pelo eventual aumento do salário mínimo nacional para 600 euros já no início de 2018, reclamado pela CGTP.

De acordo com um estudo do setor, a mão de obra na atividade da panificação e pastelaria representa 33% dos custos, a matéria-prima outros 33% e a energia e combustíveis cerca de 20%.

Também o preço dos ovos vai continuar a sofrer um agravamento, depois de, nos últimos dois meses, estes terem subido praticamente 60%, passando so 85 cêntimos para 1,40 euros por dúzia (classe A, tamanho L). Mas não só: o aumento dos preços dos combustíveis e os custos mais elevados de energia, gás e eletricidade também vão puxar os preços do pão para cima.

"Trata-se de uma situação muito preocupante e que nos obriga a fazer contas à vida".

O aumento dos custos de produção está na origem da subida dos preços.

O pão terá surgido há seis mil anos, na antiga Mesopotâmia, e era feito com trigo. Já o pão ázimo, não fermentado, é geralmente achatado, mais consistente: pode ser cozido no forno ou assado numa chapa ou mesmo frito.

Ller este