Ministro acredita que 3 mil sindicatos devem desaparecer

Ministro acredita que 3 mil sindicatos devem desaparecer

Na avaliação do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, o fim da taxa deve provocar a extinção de mais de três mil sindicatos. O ministro avalia que a modernização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) é uma conquista do governo Temer. O restante, cerca de 11,3 mil, representa os trabalhadores. "Com a modernização trabalhista iniciamos um novo tempo: o tempo de mais empregos, de mais esperança e de otimismo", afirmou.

O ministro também enumerou os direitos trabalhistas preservados na modernização proposta pelo governo Temer ao enfatizar que "tudo está garantido": FGTS, seguro-desemprego, salário-mínimo, piso salarial, férias de 30 dias, repouso semanal remunerado, 13º salário, aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, licença maternidade e horas-extras. "O tempo de retomada do crescimento e de melhores oportunidades para todos", declarou. No pronunciamento, o ministro dá boas vindas "ao futuro" e lembra que reforma a legislação da década de 1940 "era desafio que a todos parecia impossível de vencer", mas o projeto avançou com "ousadia, diálogo e trabalho".

"Consolidar direitos, pois direito não se revoga, apenas se aprimora". Promover a segurança jurídica, pois apenas ela traz crescimento econômico duradouro. "E apenas o crescimento econômico pode gerar empregos, o maior de todos os direitos do trabalhador".

Pela reforma aprovada pelo Congresso Nacional, a contribuição sindical obrigatória (paga anualmente por todos os trabalhadores, na proporção de um dia de salário), está extinta.

O texto em vigor contribuirá para preparar o Brasil para criar novos empregos e competir em um mundo de mudanças rápidas no século 21, ponderou Nogueira. "Com esforço e dedicação, para Brasil melhor, mais próspero e mais justo", declarou.

Ller este