Ministra do Reino Unido renuncia em meio a escândalo de reuniões secretas

Ministra do Reino Unido renuncia em meio a escândalo de reuniões secretas

A primeira-ministra britânica, Theresa May, prepara-se para afastar o segundo membro do seu governo em menos de uma semana, perante a avalancha de erros, omissões e até suspeitas de deslealdade cometidos pela ministra do Desenvolvimento Internacional.

A ministra demissionária terá aproveitado as suas férias em Agosto para se reunir com vários dirigentes israelitas, nomeadamente com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

A ministra de Cooperação Internacional do Reino Unido, Priti Patel, renunciou no dia anterior em meio ao escândalo causado pela revelação de suas reuniões secretas com representantes do alto escalão do governo de Israel. A sua participação gerou controvérsia no Reino Unido, pelo facto de uma figura ligada à política aceitar o convite para fazer parte deste programa televisivo, que em Portugal foi produzido pela FremantleMedia para a SIC, em 2013.

Nesta quarta-feira, Patel, que recebeu ordens para retornar de uma viagem à África, reuniu-se com May e apresentou sua carta de renúncia.

A demissão de Patel foi a segunda no governo britânico em sete dias, depois da do ministro da Defesa, Michael Fallon, devido a um caso de assédio sexual. São também conhecidas as suas posições pró-israelitas e, à frente do Ministério para o Desenvolvimento Internacional, advogou por várias vezes que Londres deveria evitar que os fundos de apoio aos palestinianos sejam usados por organizações que não reconhecem o Estado hebraico.

Um jornal israelita noticiou que Patel visitou, na altura, um hospital de um campo militar israelita nos Montes Golã, território que o Reino Unido considera ter sido ocupado ilegalmente por Israel. A baixa mais recente agrava a situação no gabinete da primeira-ministra Theresa May, que viu membros do governo envolvidos em escândalos sexuais.

Ller este