Mesmo baleado, soldado norte-coreano consegue fugir para Coréia do Sul

Mesmo baleado, soldado norte-coreano consegue fugir para Coréia do Sul

O exército sul coreano disse, hoje, 13, que um soldado norte-coreano foi baleado por seus colegas quando tentava fugir para a Coreia do Sul a partir de uma vila fronteiriça.

Quando cruzava a zona de segurança na aldeia de Panmunjom, o militar foi alvejado e ferido por membros do seu exército, mas deu entrada com vida num hospital do Sul.

O soldado passou ao Sul da "zona comum de segurança", antes de ser levado para um hospital sul-coreano em consequência dos ferimentos provocados por tiros de outro militar norte-coreano, indicou a agência, que citou o Estado-Maior sul-coreano.

Apesar do nome, a Zona Desmilitarizada, ou DMZ, é provavelmente a fronteira mais militarizada do mundo. Todos os anos um milhar de pessoas abandona o país dirigido por Kim Jong-un, mas são raros os que o fazem através daquela zona, que se encontra fortemente vigiada de ambos os lados da fronteira.

As Coreias do Norte e do Sul permanecem tecnicamente em cessar-fogo desde 1953, já que o armistício assinado na época nunca foi substituído por um tratado de paz definitivo. Desta vez, o homem estava colocado num posto perto da fronteira.

O episódio mais sangrento na história da passagem - estabelecida após o término da Guerra da Coreia, em 1953 - ocorreu em 1984, quando o estudante soviético Vasily Matuzok desertou à Coreia do Sul aproveitando uma visita turística realizada a Panmunjom durante uma estadia na Coreia do Norte.

Ller este