Governo e professores chegam a acordo

Governo e professores chegam a acordo

"Congratulamo-nos duplamente porque vai permitir devolver a necessária paz social às escolas e também valorizar a classe dos professores, mas simultaneamente, porque se trata de um compromisso cujo modelo é responsável, financeiramente sustentável, permite dar passos seguros e permite não por em causa todas as soluções que têm vindo a ser encontradas".

O governo propõe recuperar apenas sete dos novo anos e meio de trabalho dos professores, a partir de 2020. "É muito justa a luta dos professores e das professoras e chama-nos a atenção para uma luta que é de todo o país, [ou seja], que os trabalhadores têm de ser respeitados pelas suas carreiras e, portanto, tem de haver contagem de tempo de serviço para toda a gente".

Será na próxima ronda de negociações, com a primeira reunião agendada para o dia 15 de Dezembro, que se vão regulamentar muitas das matérias que constituem as principais reivindicações dos docentes.

O Governo admitiu esta noite à Fenprof começar a pagar a reposição salarial do tempo de serviço congelado ainda nesta legislatura, mas o processo negocial ainda está em aberto e os sindicatos voltam a reunir-se com o executivo hoje. Ou seja, quando já estará outro governo em funções.

Ller este