Segurança de creche ateia fogo em crianças em MG

Segurança de creche ateia fogo em crianças em MG

O autor do ataque, Damião Soares dos Santos, de 50 anos, e uma professora, de 43, também morreram.

Além disso, na manhã desta sexta-feira equipes da Polícia Civil estiveram na casa do segurança e encontraram vários galões com álcool e cartas escritas por ele, nas quais dizia ter predileção e afeto por crianças.

"Felizmente uma criança do sexo feminino que foi noticiada também como falecida, por sucessivas reanimações cardíacas, ela permanece em vida".

Cecília Davina Gonçalves Dias teve a morte confirmada por volta das 13h15; Yasmin Medeiros Salvino às 14h21.

Cinco crianças de 4 anos morreram no ataque à creche. Os feridos devem ser encaminhados ao Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Dezesseis estavam internadas e duas em observação.

O segurança acabou por sobreviver, estando no hospital em estado grave. O vigia não estava afastado por problemas de saúde. Segundo o médico, há peles suficientes para fazer transplantes em até 15 crianças. "Todos foram atendidos inicialmente, conforme mandam os protocolos médicos, e a sequência no tratamento será feita", disse.

Mais tarde, ao apresentarem sintomas como tosse, foram hospitalizadas e entubadas na cidade do norte de Minas, antes de serem transferidas a BH. Damião Soares dos Santos entrou na escola, colocou fogo em si mesmo e em algumas crianças. Parentes das crianças receberam atendimento psicológico e de assistência social no hospital, que é referência em pediatria. Os bombeiros elevaram para 43 o total de feridos, conta feita antes do falecimento de Cecília. Duas adultas de 23 e 51 anos também são atendidas na cidade.

Embora uma corrente nas redes sociais indique que o Hospital Regional de Janaúba, para onde as vítimas foram encaminhadas, esteja precisando de mais profissionais de saúde, ao jornal O Globo, o diretor assistencial da unidade negou tal informação.

Ller este