Ricardo Salgado garante estar inocente das acusações — Operação Marquês

Ricardo Salgado garante estar inocente das acusações — Operação Marquês

Numa declaração à imprensa, esta quarta-feira, em Lisboa, a defesa de Ricardo Salgado afirmou que a acusação feita pelo Ministério Público na última quarta-feira é "infundada", baseando-se apenas em "suposições e presunções sem suporte".

Anunciado como conferência de imprensa, o encontro com os jornalistas convocado para esta manhã pela defesa de Ricardo Salgado, acabou por limitar-se à leitura de um comunicado, onde Francisco Proença de Carvalho, um dos advogados do antigo presidente do BES, reiterou a inocência do seu cliente. "É isso que faremos", concluiu, antes de prosseguir para o segundo motivo.

Explicadas as razões para não haver lugar a perguntas no final da conferência de imprensa, Francisco Proença de Carvalho passou então a ler o comunicado.

Além de Sócrates, surgem na acusação vários outros nomes conhecidos da opinião pública, como é o caso de Ricardo Salgado, Henrique Granadeiro, Armando Vara e Zeinal Bava e a defesa do ex-primeiro-ministro garantiu que ainda não foi sequer notificado, mas que tanto ele como o colega já tiveram tempo de " dar uma vista de olhos à acusação" e que tomaram notas relativamente a vários factos.

"Só muito recentemente é que o nome de Ricardo Salgado" foi trazido à tona, na investigação, afirmou Francisco Proença de Carvalho, defendendo que a contaminação da opinião pública foi feita através dos órgãos de comunicação social.

E prosseguiu, atacando o Ministério Público, dizendo que este respeito "tem-se mantido apesar das múltiplas violações dos seus direitos, violações permitidas por aqueles que, por lei, tinham o direito de garantir que os direitos dos arguidos num Estado de Direito Democrático fossem respeitados". Um pela prática de crimes de corrupção ativa de titular de cargo político, dois por corrupção ativa, nove por branqueamento de capitais, três por abuso de confiança, três por falsificação de documento e três por fraude fiscal qualificada.

O advogado não poupou críticas ao comportamento do Ministério Público, ao juiz de instrução criminal Carlos Alexandre e "às sistemáticas violações do segredo de Justiça", que, segundo referiu, "pretendem condenar Ricardo Salgado na praça pública".

Ller este