Presidente do PSG investigado pela FIFA

Presidente do PSG investigado pela FIFA

O gabinete do procurador-geral suíço informou que a investigação diz respeito a subornos oferecidos ao antigo secretário-geral da Federação Internacional de Futebol (FIFA) Jerôme Valcke, no sentido de entregar os direitos ao grupo BeIN, propriedade de Al-Khelaifi.

O comunicado explica que as investigações envolvem também um empresário do mundo esportivo, cujo nome não foi publicado.

Os procuradores também disseram que Valcke e Nasser Al-Khelaifi estão ligados de forma irregular pela "concessão dos direitos de meios de comunicação para certos países nas Copas do Mundo da Fifa de 2026 e 2030". Os três envolvidos são acusados de As suspeitas são de corrupção privada, fraude, gestão desleal e falsificação de documentos.

Valcke foi interrogado sobre o tema nesta quinta-feira, na Suíça, onde esteve para uma audiência no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS).

Uma mega-operação das polícias da Suíça, Itália, Espanha e França foi realizada nesta quinta-feira (12), com o confisco de materiais em diferentes locais, residências e escritórios. Além do catariano, o ex-secretário geral da Fifa Jérôme Valcke é também outro suspeito, por ter aceitado o suborno. Desde então, o catari tem sido a grande figura da gestão da equipe, que tornou-se hegemônica na França e contratou astros como Ibrahimovic, Thiago Silva, Di María e, no começo desta temporada, trouxe Neymar por € 222 milhões - a negociação mais cara da história do futebol mundial. Antes disso, trabalhava para o mercado televisivo desde 2003, quando começou a carreira como diretor de aquisição de direitos da Al Jazeera Sport.

Ller este