Parques de SP são fechados para a prevenção contra a febre amarela

Parques de SP são fechados para a prevenção contra a febre amarela

Segundo o ministério da Saúde, o caso de Itatiba foi o único caso de febre amarela confirmado no país nos últimos três meses e que, apesar do encerramento do último surto, declarado em setembro, a pasta mantém ações de vigilância e monitoramento de epizootias (morte de macacos), bem como a vacinação. São esperados os resultados de exames realizados em outros dois animais. O Horto e o Parque da Cantareira estão fechados desde o último sábado para "ações de prevenção em saúde". Ele afirmou que não há motivo para pânico.

O estado de São Paulo já possui 1,5 milhão de doses, de acordo com a Secretaria de Saúde. O estado de São Paulo está entre os estados que teria recebido doses extras, junto com RJ, MG, ES e BA. Nas quatro UBS do distrito Anhanguera, que começaram a dar a vacina no mês passado, 35 mil doses já haviam sido aplicadas.

A medida, segundo a Prefeitura, evitará longas filas em horários de pico e garantirá mais comodidade e menos tempo de espera para o cidadão, além de destinar tempo hábil para os demais serviços e vacinações nas UBS.

Segundo balanço parcial divulgado pela secretaria, de sábado (21) até agora foram imunizadas emergencialmente 12 mil pessoas na região do Horto. Na segunda etapa, o limite será ampliado para 1000 metros e a terceira fase dependerá de nova avaliação epidemiológica.

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, agentes sanitários farão uma varredura para a coleta de amostras de mosquitos.

O secretário ainda informou que o macaco não é o transmissor da doença para os humanos, mas a transmissão ocorre pela picada de mosquitos das espécies haemagogus e Aedes aegypti. Não há casos de febre amarela urbana no Brasil desde 1942. As pessoas que já se vacinaram quando eram bebê e têm a carteira com a comprovação, não precisam mais tomar a dose chamada de "reforço", após os 10 anos.

Ller este