Ministra da Administração Interna deixa o governo — Portugal

Ministra da Administração Interna deixa o governo — Portugal

O Presidente da República dá posse ao novo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e ao novo ministro Adjunto do primeiro-ministro, Pedro Siza Vieira, no sábado, pelas 09:00, no Palácio de Belém. As alterações ao elenco governativo foram aceites por Marcelo Rebelo de Sousa.

Tendo terminado o período crítico desta tragédia e estando já preparadas as propostas de medidas a discutir no Conselho de Ministros Extraordinário de 21 de outubro, considero que estão esgotadas todas as condições para me manter em funções, pelo que lhe apresento agora, formalmente, o meu pedido de demissão, que tem de aceitar, até para preservar a minha dignidade pessoal.

Assumiu no actual governo a pasta de Ministro-adjunto do Primeiro-ministro.

"Nós não conhecemos particularmente o senhor ministro na área da Segurança Interna, mas esperamos que ele venha com vontade de concretizar um conjunto de diplomas que estão em cima da mesa, que estavam a ser negociados e debatidos com a ex-ministra da Administração Interna", afirmou.

Grandes incêndios florestais deixaram 41 mortos e 71 feridos no domingo e na segunda-feira, segundo a Proteção Civil.

Jurista de formação, Eduardo Cabrita nasceu em 1961 e já desempenhou funções governativas. Licenciado em Direito, foi professor das disciplinas de Finanças Públicas e de Direito Fiscal na Faculdade de Direito de Lisboa de 1982 a 1988.

A ministra na carta de demissão fez questão de sublinhar que esta não era a primeira vez que pedia a António Costa que a deixasse sair do governo.

Agora, Herman José também parodia a antiga ministra da Administração Interna.

A saída foi confirmada por meio de um comunicado do gabinete do premier António Costa.

Pedro Siza Vieira, de 52 anos, é próximo de António Costa, advogado e sócio da Linklaters, firma internacional a quem o Governo pediu um parecer sobre o Siresp.

Ller este