Independência da Catalunha 'travada'. 'Vice' de Rajoy irá coordenar

Independência da Catalunha 'travada'. 'Vice' de Rajoy irá coordenar

Puigdemont afirmou que vai continuar a trabalhar para "construir um país livre".

O Departamento de Estado dos EUA afirmou, por sua vez, que a "Catalunha é parte integral da Espanha e os Estados Unidos apoiam as medidas constitucionais do governo espanhol".

O governo central anunciou ao fim do dia de sexta-feira a dissolução do parlamento regional, a realização de eleições em 21 de dezembro próximo e a destituição de todo o Governo catalão, entre outras medidas.

A determinação consta do real decreto que designa órgãos e autoridades encarregadas de dar cumprimento às medidas estipuladas nesta sexta-feira pelo Conselho de Ministros para restabelecer a legalidade constitucional na Catalunha, horas depois que seu parlamento regional aprovou uma declaração de independência.

Vice-presidente do governo espanhol passa a comandar Executivo local após destituição do Parlamento catalão e convocação de pleito para região separatista.

Entre elas está a remoção de todo o gabinete presidido por Puigdemont e a convocação de eleições autônomas na Catalunha para o dia 21 de dezembro.

A versão por escrito foi divulgada e tem a assinatura de "Carles Puigdemont, president da Generalitat (governo) da Catalunha".

O BOE também publicou a destituição do chefe do governo catalão, Carles Puigdemont, e todo o seu gabinete, além do diretor-geral dos Mossos d'Esquadra (polícia regional). As decisões foram tomadas no âmbito do artigo 155 da Constituição.

Um decreto divulgado neste sábado (28) pelo Boletim Oficial do Estado da Espanha, tornou oficial a retirada da autonomia da Catalunha. Entretanto, outro artigo do decreto especifica que Rajoy delega essas funções à sua vice-presidente.

Ele insistiu que a intervenção na Catalunha não busca suspender a autonomia da região, mas recuperá-la, e por isso anuncia eleições.

O que se seguiu foi um plenário parlamentar tenso, no qual a oposição, tanto o Cidadãos, como os socialistas catalães e o PP da Catalunha acusaram Puigdemont de irresponsabilidade e de se apropriar das instituições catalãs enquanto os grupos nacionalistas exigiram a declaração de independência para respeitar os resultados do referendo de dia 1. O pedido do governo se ampara no artigo 155 da Constituição.

Ller este