Greve dos médicos foi "expressiva", dizem sindicatos

Greve dos médicos foi

Só uma das três salas do bloco operatório esteve a funcionar e para cirurgias de urgência.

Os médicos da região Sul e das Regiões Autónomas estão em greve desde as 00:00 de hoje, num dia de paralisação regional que já decorreu no norte e que antecede um dia de greve nacional, prevista para 8 de Novembro.

Blocos operatórios fechados e cirurgias e consultas adiadas em hospitais e centros de saúde foram os efeitos da greve de ontem dos médicos no Alentejo.

A delegada do Sindicato Independente dos Médicos na Madeira, Lídia Ferreira, refere que a previsão da adesão, até ao momento, ronda os 80% nos serviços da Madeira.

As organizações representativas dos médicos afirmam que desde a greve de Maio foi "possível solucionar diversos problemas" devido à acção negocial e reivindicativa, mas "subsistem matérias que o Governo continua a bloquear nas negociações".

Já Mário Jorge, da Federação Nacional dos Médicos, afirmou ser necessária uma "mudança de atitude" do Governo para atingir pontos de entendimento que terminem o conflito.

O objectivo da greve é "acordar o ministro da Saúde" para a necessidade de chegar a um acordo.

A greve agendada para esta quarta-feira, 25 de Outubro, afetou significativamente vários serviços nas unidades de saúde alentejanas levando ao encerramento de blocos operatórios a que acresce o adiamento de consultas e cirurgias, confirmou o Sindicato Independente dos Médicos (SIM), através do delegado regional do Alentejo, Armindo Ribeiro.

No pré-aviso de greve, o Sindicato dos Médicos do Norte, o Sindicato dos Médicos da Zona Centro e o Sindicato dos Médicos da Zona Sul apontam ainda a reivindicação da reposição do pagamento integral das "horas incómodas" e o "desencadeamento imediato do processo de revisão da Carreira Médica e das respectivas grelhas salariais".

A greve ocorreu devido à ausência de resposta do Governo face às propostas - como a redução de horas extraordinárias obrigatórias, redução do trabalho de urgência e redução da lista de doentes por médico de família.

Ller este