FMI aponta recuperação no crescimento do comércio global em 2017

FMI aponta recuperação no crescimento do comércio global em 2017

Contudo, o FMI alerta também para a fraqueza nos investimentos e as incertezas políticas como fatores que podem dificultar a economia em 2018.

O percentual da projeção do PIB anual também cresceu, de 1,3% para 1,5%, em 2018.

"A produtividade persistentemente lenta em alguns países levou a uma maior ênfase às reformas no mercado de trabalho e de produto, especialmente dada à escassez de margem orçamental, [uma vez que] já foi demonstrado que estas reformas aumentam a produtividade e o emprego e aumentam a resiliência a choques", afirma o FMI no primeiro capítulo do relatório.

Assim, na opinião deste credor de Portugal, uma das prioridades passa pelas "reformas da legislação em matéria de proteção do emprego de modo a reduzir a dualidade do mercado de trabalho, tais como a flexibilização da contratação e das regras de despedimento dos trabalhadores regulares (por exemplo, em França, Portugal, Espanha)". O FMI explica ainda sobre Portugal e Itália que são países com "margem para melhorar o clima de negócios e a qualidade da Administração Pública".

Para os Estados Unidos, principal economia mundial, espera-se agora um crescimento de 2,2% para este ano e de 2,3% para 2018, uma melhora de 0,1% e 0,2%, respectivamente, frente aos cálculos de julho, impulsionado por condições financeiras muito favoráveis e "à forte confiança de consumidores e empresas".

O organismo dirigido por Christine Lagarde aumentou as previsões de crescimento para a zona Euro para 2,1% este ano e 1,9% em 2018, 0,2% acima do que foi calculado há três meses.

No Programa de Estabilidade apresentado em Abril, o governo estimou uma taxa de desemprego de 9,9% este ano e de 9,3% no próximo e uma taxa de inflação de 1,6% e de 1,7%, respectivamente.

Ller este