Este fim de semana há chuva de meteoros para ver

Este fim de semana há chuva de meteoros para ver

Diferente das estrelas cadentes Perseidas, observadas em agosto, a chuva dos meteoros Oriônidas poderá ser vista em todo o mundo.

A última passagem pelo planeta aconteceu em 1986, e a próxima está prevista para 2061. Esses detritos acompanham a mesma órbita do cometa, e assim, a Terra, ao orbitar o Sol, pode cruzar essa faixa de detritos.

Mas, seu radiante, o ponto no céu de onde surgem os meteoros, é a constelação de Órion, popularmente conhecida como "Três Marias". Assim, neste período costuma haver um aumento na visualização das chamadas "estrelas cadentes", na verdade pequenas rochas e grãos de poeira que se incendeiam do topo da atmosfera a velocidades que podem passar dos 230 mil quilômetros por hora, em fenômenos conhecidos como "chuvas de meteoros". E este ano a chuva tem ainda a vantagem de coincidir com uma época de Lua nova, de forma que o brilho do satélite também não vai atrapalhar a observação das tênues "estrelas cadentes". Com isso, a Lua só clareará a atmosfera no início da noite, ou seja, fora do horário que é recomendado para a observação dos Orionídeos.

Segundo Giovanni, esta chuva de meteoros tem frequência anual, de origem cometaria - no caso, do famosos cometa Halley. O melhor momento para observação está previsto entre a meia-noite e a uma da madrugada porque é nas primeiras horas da manhã que a translação da Terra a coloca na região onde estão os detritos.

Radiante será na constelação de Órion. Quem estiver no hemisfério norte, deve estar mais atento para a direção sudeste.

Ller este