Dois novos escalões de IRS, após acordo à Esquerda

As taxas ainda não estão definidas, em parte porque o acordo contempla também um alisamento das taxas de IRS para que os escalões superiores não beneficiem das mudanças criadas pelos dois novos escalões, e continuem assim a pagar o mesmo nível de impostos.

Na próxima semana será entregue o Orçamento de Estado para 2018, e desta forma chegam algumas novidades, entre elas a inclusão de dois novos escalões de IRS. Ao que o JN apurou, o Governo cedeu à proposta do Bloco de Esquerda para desdobramento do segundo e terceiro escalões da atual tabela e aceitou a sua aplicação no próximo ano, sem faseamento até 2019.

Fontes contactadas pela TSF dizem também que nestas negociações entre o Governo e o Bloco de Esquerda para a preparação do Orçamento do Estado, o Governo aproxima-se dos valores pedidos pelo Bloco de Esquerda sobre os montantes a devolver aos contribuintes.

O mínimo de existência, que é o valor mínimo do rendimento que os trabalhadores têm de ter depois de cobrados os impostos, passará a ser de 1,5 vezes o IAS em termos anuais, ou seja, 8.846 euros. Ao que o DN apurou, a proposta do executivo já está significativamente acima dos 230 milhões previstos na proposta inicial apresentada aos parceiros, mas ainda longe dos 440 milhões. O terceiro escalão da tabela, para os rendimentos entre os 20 mil e 40 mil euros, também deve ser partido ao meio.

Ller este