Chape entra na Justiça contra produtora de documentário sobre acidente aéreo

Chape entra na Justiça contra produtora de documentário sobre acidente aéreo

O juiz Marcos Bigolin, da 3ª Vara Cível de Chapecó, no Oeste catarinense, concedeu na terça-feira (17) uma liminar a favor da Chapecoense para suspender a divulgação e estreia do documentário "O Milagre de Chapecó".

"A requerida [Trailer LTDA] descumpriu seu dever contratual de informar a requerente com periodicidade sobre o plano de trabalho, filmagens e demais detalhes sem qualquer comunicação ou mesmo autorização da requerente e, pasme, sem nunca ter enviado qualquer material para análise da requerente!", diz trecho da ação da Chape. A estreia do longa, marcada para 30 de novembro, também foi suspensa por tempo indeterminado.

A Afav-c (Associação dos Familiares das Vítimas do Voo da Chapecoense), inclusive, já havia informado que tinha a intenção de entrar com uma ação na Justiça para que o filme não fosse exibido.

Segundo a decisão do juiz, o clube teria contratado a empresa para a produção de um documentário sobre a evolução do clube e que apenas passaria pelo acidente aéreo que matou 71 pessoas no ano passado.

A Justiça pede que o trailer seja retirado do ar 48 horas após a intimação sob risco de multa de 50 mil a 500 mil reais.

Além da Chapecoense, as famílias das vítimas do acidente também já pensam em entrar com ações na justiça contra a produtora. Apesar de ter fechado uma parceria com a produtora, a diretoria da Chapecoense disse que sequer e-mails foram respondidos pelos responsáveis pela produção sobre os planos de filmagem. Nós somos o único documentário que desde o início se ofereceu para homenagear o clube, a cidade de Chapecó e as vítimas do acidente e a doar parte dos lucros às famílias.

Ller este