Tillerson: Pequim deve utilizar petróleo para pressionar Coreia do Norte

Tillerson: Pequim deve utilizar petróleo para pressionar Coreia do Norte

"Efetivamente, isso é direcionado apenas para a China, porque o fornecimento vindo da China é essencialmente todo o petróleo da Coreia do Norte", disse ele em entrevista coletiva com Johnson.

O secretário-geral da Aliança Atlântica acrescenta que se trata de uma a "grande ameaça à paz e à segurança internacional que exige uma resposta mundial".

O lançamento foi feito na noite de ontem (14), do aeroporto de Pyongyang, a capital norte-coreana.

O ministro dos Negócios Estrangeiros japonês, Taro Kono, manteve hoje uma conversa ao telefone com o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, para analisar e estudar uma resposta conjunta ao novo disparo de míssil realizado hoje pela Coreia do Norte.

"Esta manifesta violação das resoluções do Conselho de Segurança se produz dias depois que a Coreia do Norte fez seu sexto teste nuclear", lembra o comunicado.

Já a emissora japonesa "NHK", por sua vez, informou que o míssil de longo alcance voltou a sobrevoar seu território, na região das ilhas de Hokkaido.

Pouco depois de ser conhecido o disparo, o Conselho de Segurança da ONU anunciou a realização de uma reunião para hoje, a partir das 15h00 locais (20h00 em Lisboa).

O míssil superou assim a distância percorrida pelos de modelos similares usados nos dois testes anteriores, mostrando ter capacidade suficiente para chegar à ilha de Guam, que acolhe importantes bases navais dos Estados Unidos, assinalou Itsunori Onedera.

O regime de Kim Jong-un tinha estendido, na quinta-feira, a sua ameaça nuclear ao Japão e à Coreia do Sul, recriminando-os pelo "ardente" apoio aos Estados Unidos na busca de novas sanções e defendendo o desejo do exército e do povo de os "liquidar".

Ller este