Raquel Dodge toma posse como procuradora-geral da República

Raquel Dodge toma posse como procuradora-geral da República

A troca de comando no MPF se dá menos de uma semana depois de Janot apresentar mais uma denúncia contra Temer ao STF.

Raquel e Janot são integrantes de alas opostas dentro da PGR.

"O Brasil tem muitas prioridades". Ele destacou a importância de harmonia entre os Poderes. Segundo Jefferson Ribeiro, do O Globo, Janot disse a interlocutores que o convite por email era impessoal e assinada pelo Ministério Publico Federal.

Leia mais: Meticulosa, controladora e ambiciosa. A procuradora-geral também é goiana. "Acredito que o Brasil precisa de um Ministério Público forte e que garanta os direitos fundamentais da pessoa humana", disse o governador.

"O MP naturalmente não deixa de ser um ator político, pelas suas atribuições, que são muito grandes na Constituição. A cada dois anos nos reunimos nesta casa e reafirmamos a esperança de dias melhores e o nosso compromisso de agirmos com unidade de propósito de cumprir o nosso dever constitucional", disse Dodge. "Os órgãos do sistema de administração de justiça têm no respeito e harmonia entre as instituições a pedra angular que equilibra a relação necessária para se fazer justiça em cada caso concreto". Ela não citou a Lava Jato. Acho que ela, hoje, disse aquilo que todos nós esperamos - disse o presidente do Senado. Temer foi denunciado pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na última quinta-feira. "Ela será dura, mas democrática", comentou. A maioria dos que integram a força-tarefa da Lava-Jato, por exemplo, foi cedida por outros estados. O procurador Deltan Dallagnol também estava na lista de convidados, mas não estará presente por conta de um problema de saúde da filha.

"O que significa isso [a revisão dos acordos]?" A nova procuradora-geral comandará o MPF por dois anos. Todos os denunciados e investigados que compareceram à cerimônia negam as acusações. Já Oliveira Júnior participou de investigações derivadas da delação da J&S. "Ao que estou informado, uma parte do grupo vai permanecer com o mesmo trabalho", afirmou. Ele já participou de investigações criminais como o mensalão mineiro, escândalo dos Correios, desvios na UnB e Zelotes. Ao mesmo tempo, a nova responsável pela Lava-Jato sentou-se em uma mesa na qual apenas a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, não é alvo de inquérito pela operação.

Para a nova equipe, serão nomeados Hebert Reis Mesquita, José Alfredo de Paula, José Ricardo Teixeira, Luana Vargas Macedo e Raquel Branquinho.

Ller este