Contas de luz vão subir em outubro por conta da estiagem

Contas de luz vão subir em outubro por conta da estiagem

A Aneel marcou uma entrevista coletiva para a tarde desta sexta, quando a mudança na bandeira tarifária será oficializada. A possibilidade já havia sido anunciada pelo diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, no último dia 19 e foi confirmada nesta sexta-feira (29).

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores o custo da produção de energia no país.

Segundo Rufino, não há nenhum risco de desabastecimento, porém, o custo da energia ficará mais alto em razão do regime de chuvas, que não tem sido favorável há meses. A cor verde indica que o custo é baixo. Quando ele sobe um pouco, muda para amarela, depois para vermelha, patamar 1, e, por fim, para bandeira vermelha, patamar 2, quando está muito alto.

Essa é a primeira vez que o segundo patamar da bandeira vermelha é acionado desde a criação do sistema. Isso acontece porque as termelétricas usam combustível (óleo, gás, carvão, biomassa) para gerar eletricidade que, por isso, é mais cara que a produzida pelas hidrelétricas.

De acordo com a Aneel, o país enfrenta uma estiagem forte no momento, o que tornou necessário o acionamento das usinas termelétricas, que são mais caras.

Recentemente, o governo também anunciou que aumentará a importação de energia do Uruguai e o início da importação da Argentina. A medida também surge para poupar a água dos reservatórios.

Conforme informações do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), até quinta-feira, os reservatórios das hidrelétricas do Sudeste e Centro-Oeste, responsáveis por cerca de 70% da capacidade de geração do País, estavam com armazenamento médio de 24,75%. Com isso, o nível dos reservatórios deve baixar mais 3,9 pontos porcentuais, chegando aos críticos 5,4%.

Ller este