Bancos reduzem juros após decisão do Copom

Bancos reduzem juros após decisão do Copom

A decisão era esperada pelos analistas financeiros.

Por lei, portanto, sempre que a Selic ficar abaixo dos 8,5% ao ano a remuneração da poupança cairá e passará a ser de 70% da taxa básica de juros mais TR (taxa referencial).

A taxa Selic vem sendo reduzida desde outubro do ano passado, quando passou de 14,25% para 14% ao ano.

"Para a próxima reunião (em outubro), caso o cenário básico evolua conforme esperado, e em razão do estágio do ciclo de flexibilização, o Comitê vê, neste momento, como adequada uma redução moderada na magnitude de flexibilização monetária", destacou o BC em comunicado.

Levando em conta o período de 12 meses encerrado em agosto, o IPCA acumula 2,46%, a menor taxa em 12 meses desde fevereiro de 1999. Nesta quarta, o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) já havia afirmado que a inflação baixa dava "flexibilidade" ao Banco Central para continuar com a política de redução da taxa básica de juros, a Selic. Para este ano, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabelece meta de inflação de 4,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto. Em abril, o Copom acelerou o ritmo de cortes para 1 ponto percentual.

O impacto de preços administrados, como a elevação de tarifas públicas e alimentos como feijão e leite, contribuiu para a manutenção dos índices de preços em níveis altos até agosto de 2016. No segundo trimestre, o PIB (Produto Interno Bruto) avançou 0,2% na comparação com os três meses anteriores. A estimativa está em linha com o último Relatório de Inflação, divulgado em junho, no qual o BC também projetava expansão da economia de 0,5% este ano.

Usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic), a taxa serve como referência para as demais taxas de juros da economia.

Ao cortar os juros, o Banco Central também busca reanimar a atividade econômica. Quando reduz a taxa Selic, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas enfraquece o controle da inflação.

Ller este