Ministro da Justiça diz que ação no Rio acaba com mito de crime organizado poderoso

Ministro da Justiça diz que ação no Rio acaba com mito de crime organizado poderoso

Outro homem também teria morrido em confronto com as forças. O objetivo é cumprir 55 mandados: 40 de prisão e 15 de busca apreensão. Participam da operação 3,6 mil homens do Exército e dos Fuzileiros Navais.

Desde cedo, equipes das polícias Militar e Civil, com o apoio do Comando Militar do Leste, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, estão espalhadas pelos complexos do Lins e Camarista Méier, na Zona Norte; e no Morro da Covanca, em Jacarepaguá, na Zona Oeste.

Segundo a Globo informa, há cerca de 3600 militares envolvidos na megaoperação, apoiados por 514 veículos.

O Governo Federal mobilizou em 26 de julho 10.000 efetivos - incluindo 8.500 militares - no Rio de Janeiro, para ajudar na segurança e, principalmente, no combate ao roubo de cargas. A área com maior número de casos (23%) é a Baixada Fluminense.

Até as 11h deste sábado, dois homens haviam sido mortos e pelo menos 18 foram presos, além de dois menores apreendidos.

A segunda fase da operação de segurança das forças federais no Rio começou na madrugada deste sábado.

De acordo com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, no ano passado foram registrados 10.000 casos de roubo de cargas, principalmente em estradas de acesso à cidade, com perdas calculadas em bilhões.

Ller este