Maia discutirá a partir da próxima semana reforma tributária com relator

Maia discutirá a partir da próxima semana reforma tributária com relator

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou ontem que o presidente Michel Temer perdeu apoio e não tem votos suficientes, neste momento, para aprovar a reforma da Previdência.Mesmo depois de o pemedebista ter barrado na Câmara a denúncia em que a Procuradoria-Geral da República o acusa do crime de corrupção, Maia disse que Temer tem de reorganizar a base aliada, trazer de volta o PSDB unido e atrair pelo menos 330 deputados se quiser aprovar reformas. Ele também adiantou que a reforma política começará a ser tratada nas próximas duas semanas.

Na reunião, segundo relato de um dos participantes, os governistas avaliaram que a reforma da Previdência precisa ser aprovada até o fim de 2017.

Os deputados querem os cargos pois argumentam que essas vagas na administração federal refletem na eleição de 2018: alegam precisar da estrutura de poder nas bases para fazer campanha no ano que vem.

"Já passou a denúncia, e é importante que a gente deixe a denúncia para trás e a gente olhe para a frente", disse. "Mas, de qualquer maneira, eu sei que muitos que votaram contra [mim] são a favor da reforma", disse. Porém, considerou que eles não representam a posição majoritária da sigla e que será possível recuperar três ou quatro votos na votação das reformas. "O Brasil precisa reformar seu Estado, reduzir seus gastos e construir leis que fortaleçam a segurança jurídica".

Segundo o portal do Planalto, os vídeos foram gravados após os encontros entre o presidente e os deputados.

O deputado falou "rapidamente" com Temer após a decisão de quarta-feira: "Ele ligou para agradecer pela condução da sessão".

Temer também negou que tenha usado emendas parlamentares como ferramenta para garantir que a Câmara barrasse a denúncia.

Ller este