Ordem dos Médicos abre inquérito a declarações sobre homossexuais — Gentil Martins

Ordem dos Médicos abre inquérito a declarações sobre homossexuais — Gentil Martins

Salvou muitas vidas e melhorou a de muitas outras.

João Semedo acusa a Ordem dos Médicos (OM) de "dualidade de critérios" no modo como está a lidar com a entrevista a Gentil Martins, publicada este sábado no Expresso - em que o famoso cirurgião qualifica a homossexualidade como uma "anomalia" - e como agiu perante a polémica entrevista concedida pelo médico Manuel Pinto Coelho em maio, publicada também na revista E do Expresso. "Ouçam, é uma coisa simples: o mundo tinha acabado". Para que o mundo exista tem de haver homens e mulheres. Não vou tratar mal uma pessoa que é homossexual, mas não aceito promovê-la. Se me perguntarem se é correto? "Como os sadomasoquistas ou as pessoas que se mutilam", acrescentou. O que temos nós a ver com o que fazem ou aquilo de que gostam os outros?

Na edição deste sábado, o médico defendeu que a homossexualidade constitui "uma anomalia", "um desvio da personalidade" e criticou Cristiano Ronaldo, que recorreu a barrigas de aluguer para ter três filhos.

"É degradante, uma tristeza".

De acordo com o bastonário da OM, o que o Conselho de Jurisdição vai ter de analisar é entre "o dever que os médicos têm de ter um comportamento público adequado à dignidade da profissão" e o direito à "liberdade de expressão a que Gentil Martins tem como cidadão". Já muito se falou sobre esta questão e muito se falará no futuro. O Ronaldo é um excelente atleta, tem imenso mérito, mas é um estupor moral, não pode ser exemplo para ninguém.

Quanto às barrigas de aluguer e ao recurso a este método, o médico não desarma. O caso de Ronaldo, com toda a publicidade à volta, cria algum desconforto em quem acredita no conceito de vida familiar tradicional. " Mas agora denuncia que o tratamento dado ao caso das polémicas declarações de Gentil Martins sobre a homossexualidade está a ser diferente".

Ller este