Chuva pode cair durante a visita do Papa

Chuva pode cair durante a visita do Papa

O líder da Igreja Católica vai encontrar-se com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, logo à chegada, e também com o primeiro-ministro, António Costa, no dia 13.

De acordo com o documento, "os serviços e organismos que, por razões de interesse público", tenham de funcionar nesse período, devem ser dispensados do dever de assiduidade dos trabalhadores em dia posterior.

O Executivo destaca a "importância que reveste a visita a Portugal de Sua Santidade o Papa Francisco, nos dias 12 e 13 de Maio de 2017", bem como "o interesse de grande número de portuguesas/es em poderem estar presentes nas celebrações do centenário das aparições de Fátima".

O porta-voz da GNR, major Bruno Marques, referiu não haver registo de incidentes envolvendo peregrinos e condutores, apelando às pessoas que se deslocam a pé para Fátima para "utilizarem os caminhos pedestres, que estão devidamente assinalados, e evitarem estradas nacionais com circulação de veículos, de forma a garantir a sua segurança e a dos automobilistas".

Os anteriores papas que estiveram em Fátima foram Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).

No dia 13 de maio, o papa Francisco vai presidir à cerimónia de canonização dos beatos Francisco e Jacinta Marto, os mais jovens santos não-mártires.

Trinta e seis autarquias do Norte do país decidiram dar seguimento à tolerância de ponto aos funcionários públicos anunciada pelo Governo e três municípios resolveram não o fazer.

O estádio do clube português de futebol Fátima levará o nome de Papa Francisco, que visitará o santuário da cidade na semana que vem.

Ller este